Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Raizes de Amora

As Raizes de Amora é um espaço dedicado ao reencontro de amorenses, sua história, cultura e memórias.

As Raizes de Amora é um espaço dedicado ao reencontro de amorenses, sua história, cultura e memórias.

As Profissões do Pinhal

26.04.21, os amorenses
                                                     Botes com Ramas de Pinho no Tejo, destino Porto LisboaPorto de LisboaPodoa (instrumento de Podar as Ramas dos Pinheiros) Condutor do Tojo e Roçador (Gravura do Século XIX)

O PRIMEIRO ESTALEIRO DE AMORA

03.04.21, os amorenses
O PRIMEIRO ESTALEIRO DE AMORA DO “MESTRE” JOAQUIM MARIA DA FONSECA "Mestre" Joaquim Maria da Fonseca A ribeira de Lisboa chamou a si os melhores construtores navais para a grande empresa do reino que era o comercio marítimo, fazendo confluir experiencias e modos dispares, “regionalismos” náuticos, uma notável riqueza etnográfica em termos de arquitetura naval popular, que gerou a panóplia de embarcações que evidenciavam na denominação os lugares a que se encontravam (...)

OS BORJAS (II) Caetano Alberto Borja, o Amora

30.03.21, os amorenses
Caetano Alberto Borja Lourenço nasceu, na Amora, em 1772 assentou praça no regimento de Gomes Freire de Andrade* onde foi cadete. Em 1801 tomou parte da Guerras das Laranjas após o que, “livre do Real serviço” casou, em Cascais, no ano de 1804, com Violante Ferreira, filha de Higino José Ferreira.   As invasões francesas estavam a começar e Caetano Borja foi comandante das forças que se formaram em várias localidades a sul do Tejo para lutar contra os franceses, esteve nas (...)

Os Borjas (I)

27.03.21, os amorenses
Custódio Miguel Borja é o mais conhecido membro desta família que se estabeleceu na Amora no início do séc. XVIII.Em c. de 150 anos a família prosperou nesta região (Amora/Almada), proponho-vos seguir esta família até ao início do séc. XX.Originário de Viseu, Casais do Monte, Francisco Lourenço casou, em 1729, com Joana Teresa, nascida na Amora. Sabendo que os casamentos eram, naquela época, uma questão de estratégia familiar que permitia alargar e reforçar redes de (...)

A "Casa do Povo de Amora Fundada em 1934 (2)

19.02.21, os amorenses
OS DISTINTIVOS HERÁLDICOS DA CASA DO POVO DE AMORA, HOJE CASA DO POVO DE CORROIOS No primeiro distintivo heráldico, que data desde o tempo da sua fundação, esta Casa do Povo retrata o conjunto dos edifícios da antiga "Fábrica de Vidros de Amora",  donde sobressaem duas chaminés e a muralha marginal da zona ribeirinha do Esteiro do Rio Judeu, onde se pode ver a navegar um catraio, pequeno barco à vela característico desta região.  Na parte inferior, vê-se ainda uma mancha de (...)